Livro “Traços de Madeira – A Arte de Embutir” pretende homenagear todos os artesãos do género

O lançamento do livro “Traços de Madeira – A Arte de Embutir” pretende ser “uma homenagem aos protagonistas da arte do embutido na Região, e a todos os artistas que contribuíram, ao longo do tempo, para a sua criação e divulgação e, naturalmente, às obras que, estando em lugares distintos e pertencendo a diferentes épocas e proprietários, aqui se reúnem, numa obra de extraordinário valor que vem valorizar, promover e divulgar, sem dúvida, o nosso património cultural imaterial”. Esta declaração foi feita pela secretária regional do Turismo e Cultura, Paula Cabaço, que esteve ontem presente na cerimónia de apresentação pública do 2º Livro da Colecção “Cadernos de Campo” do Museu Etnográfico da Madeira.

Esta colecção, nascida em 2017 e visando a maior divulgação do “saber-fazer” e a maior valorização dos testemunhos que fazem parte do património cultural imaterial da RAM – concretamente relacionados com as actividades artesanais tradicionais que fazem parte da nossa identidade e que devem, por isso mesmo, ser preservadas – baseia-se na recolha que foi sendo desenvolvida, ao longo dos últimos 20 anos, no âmbito da inventariação e contextualização das peças que integram o acervo deste Museu, esclarece uma nota às Redacções.

Elogiando o trabalho de toda a equipa envolvida na produção deste livro, que considerou “de elevado rigor histórico e de grande sentido estético”, a governante salientou o papel pedagógico deste trabalho que, no seu entender, deve ser igualmente encarado como incentivo à preservação deste património, junto dos proprietários e de toda a população.

Na ocasião, foi ainda inaugurada a exposição “Artefactos D’A Festa”, presépios tradicionais que integram uma mostra que estará patente ao público até 15 de Janeiro de 2019.