Passe social único para o Funchal a 30 euros e para os restantes concelhos a 50 euros, revela Rui Barreto que anuncia o “sim” de Calado à proposta

Amilcar Figueira
Rui Barreto esteve presente na eleição do líder do CDS-PP em Câmara de Lobos.

No próximo ano, na Região, haverá um passe social único para o Funchal de 30 euros e outro de 50 euros para os restantes concelhos. Este anúncio foi feito, hoje, pelo líder do CDS-PP Madeira, que anunciou ter recebido, da parte do vice presidente do Governo, Pedro Calado, a garantia que a proposta dos centristas seria contemplada no Orçamento para 2019. E deu um sinal de que as eleições do próximo ano já estão a ser equacionadas em diferentes cenários: Os tempos futuros é para registar uma mobilização tendo em vista o diálogo.

Rui Barreto falou, no Estreito de Câmara de Lobos para uma plateia 150 militantes e simpatizantes, que uma hora antes elegeram Amílcar Figueira novo presidente da Comissão Política Concelhia do CDS-PP Câmara de Lobos, “com a mais expressiva votação alguma vez obtida por um candidato ao cargo”.

Foi ali que o líder regional disse querer deixar como marca da sua liderança regional do partido “a política com utilidade”. Foi quando deu este exemplo dos passes: “Ainda ontem (sexta-feira) tivemos da reunião com o vice-presidente do Governo a confirmação de aceitação de uma grande proposta do CDS. Vamos corrigir a enorme injustiça que são os passes para os transportes públicos de passageiros. A proposta do CDS defende um passe social único para o Funchal de 30 euros e outro de 50 euros para os restantes concelhos . É isto que nos move e há aqui um sinal positivo do governo em reconhecer o mérito da proposta do CDS”, disse o líder regional do CDS, para dizer que “os tempos futuros vão nos mobilizar a todos para o diálogo”.

Rui Barreto garantiu aos militantes que o CDS “falará claro e de forma objectiva sobre todas as matérias”, porque é um partido que “não está agarrado a lobbies” e por isso a sua preocupação é “fazer política com utilidade” sabendo de antemão que não agradará a toda a gente.

O líder do CDS-PP Madeira disse, também, que discorda da política que “oferece gratuitamente manuais escolares até ao 12.º ano a todas as famílias ricas e pobres, mas que não tem uma única medida de apoio às creches para incentivar a natalidade”. Acentua que tem “duas questões importantes para resolver, a demografia, e aqui manifesto a minha discordância quando o governo anuncia o pagamento de manuais a todos, mesmo aos ricos até ao 12.º, mas não encontra nenhuma medida para incentivar o apoio às creches, é uma diferença ideológica muito grande. Nós achamos que devemos devolver rendimento às pessoas para que elas tenham liberdade de escolha”, disse, para garantir que o CDS irá defender até aos limites uma descida da carga fiscal para as famílias e para as empresas, matérias que Rui Barreto quer ver consagradas já no próximo Orçamento”.

Rui Barreto teceu elogios ao novo presidente do CDS Câmara de Lobos, Amílcar Figueira, atual secretário-geral Adjunto, vereador na Câmara Municipal, militante do partido há 23 anos, foi eleito com uma expressiva votação.

Amílcar Figueira, que acabava de ser eleito foi directo: “A concelhia de Câmara de Lobos, os nossos militante e simpatizantes tudo faremos para que o CDS tenha nas eleições regionais um resultado histórico, um resultado que leve o partido para o centro da decisão, para o governo, pois todo o trabalho feito pelo CDS onde é poder ou oposição, é um trabalho que nos honra e nos orgulha”.