Emanuel Câmara quer que o Governo abra concurso para o novo hospital mas não aborda o montante global do apoio do Estado

Hospital PS
Comissão Política do PS-M reuniu-se esta noite.

A Comissão Política do PS-Madeira reuniu-se esta noite e aprovou várias bandeiras que considera de interesse para a Região no âmbito do Orçamento de Estado: Hospital Central da Madeira, a Mobilidade Área e Marítima, os Juros da Dívida, assim como o Apoio aos Cidadãos Regressados da Venezuela. Sobre o hospital, exige que o Governo abra concurso, mas não aborda a questão dos 50% do apoio do Estado.

Emanuel Câmara, o líder socialista madeirense abordou o tema Saúde para apontar “o estado caótico do Hospital Dr. Nélio Mendonça, bem como do Hospital dos Marmeleiros”, lembrando «que os madeirenses e porto-santenses sabem que as políticas desastrosas [do PSD] levaram ao encerramento de Centros de Saúde e de Serviços de Urgência, um pouco por toda a região, situação que se deve à falta de capacidade deste Governo Regional. Prova disso é que, em três anos de governo, teve três Secretários Regionais da Saúde, sendo este um sinal que o executivo madeirense não consegue resolver os problemas que assolam os madeirenses e porto-santenses, no que diz respeito à Saúde”

O presidente do PS-Madeira acentua o espanto ao ver a reação do Governo Regional, “quando na verdade foi o Governo da responsabilidade do Partido Socialista a apresentar o Hospital Central do Funchal como projeto de interesse comum, inscrevendo no Orçamento de Estado para o próximo ano a verba de 14 milhões de euros”.

Emanuel Câmara  salienta que, agora, “o Governo Regional deve avançar com o projeto, com um concurso público internacional, para que o Hospital Central da Madeira seja uma realidade, indo ao encontro das necessidades dos madeirenses e porto-santenses, dando melhores condições de saúde à população, aos seus funcionários, quer sejam médicos, enfermeiros ou auxiliares”.