Funchal com Plano para prevenir e intervir em defesa dos direitos das crianças

Cafofo direitos das crianças
Cafôfo defende “um trabalho em rede e transversal, que abarque igualmente questões como a violência doméstica, o abandono escolar, a negligência familiar, e os maus tratos tanto físicos, como psicológicos”.

O presidente da Câmara Municipal do Funchal relevou, hoje, “a importância de uma cultura de prevenção e intervenção, e da mobilização da sociedade civil para a promoção dos direitos das crianças”, assegurando que isso só é possível “com um trabalho em rede e transversal, que abarque igualmente questões como a violência doméstica, o abandono escolar, a negligência familiar, e os maus tratos tanto físicos, como psicológicos”.

Paulo Cafôfo falava durante a apresentação do Plano Local de Promoção e Proteção dos Direitos das Crianças e Jovens, elaborado pela Comissão de Proteção de Crianças de Jovens do Funchal (CPCJ), com o apoio da autarquia.

Paulo Cafôfo destacou o facto do Funchal ter aderido, logo no início do primeiro mandato do atual Executivo, à Associação Internacional das Cidades Educadoras e à respetiva Rede Territorial Portuguesa, “porque percebemos que os valores que orientam a nossa visão para a cidade do Funchal enquadram-se nos princípios que definem uma Cidade Educadora, no que respeita a governar a cidade promovendo a cidadania e a participação das pessoas na gestão do território, respeitando a diversidade e o direito à diferença e promovendo a igualdade e a formação ao longo da vida dos munícipes. As Cidades Educadoras têm, igualmente, um papel ativo na realização dos direitos da criança.”

O Município tornou-se, seguidamente, uma “cidade amiga das crianças para a UNICEF, por ter os direitos dos mais jovens como uma das suas políticas orientadoras, garantindo a sua qualidade de vida, a sua segurança e, inclusive, o seu direito à opinião”, desenvolvendo diversas atividades, tais como a comemoração do Dia Universal dos Direitos da Criança, em novembro passado.

Uma nota da autarquia lembra que “o Funchal é a única cidade da Região parceira deste programa, que reúne, em Portugal, um total de 37 municípios”.