Escola do 1.º ciclo da Lombada na Ponta do Sol no projeto Erasmus+

A Escola Básica do 1º ciclo com pré-escolar da Lombada na Ponta do Sol passados dois anos letivos volta a abraçar os projetos europeus.

A coordenadora dos projetos refere que “a par dos projetos eTwinning, a escola continua a apostar na sua dimensão europeia, abrindo as portas a novas experiências, partilha de saberes e de culturas, à inovação, à criatividade, à cultura museológica, à robótica e ao empreendedorismo”.

São cinco os projetos Erasmus K2 219 (Parcerias Estratégicas para Escolas), inseridos no Programa Erasmus+, financiado pela União Europeia (UE), em que a escola estará envolvida durante os anos letivos 2017/2018 e 2018/2019 e contará com participação na totalidade dos projetos de 14 países (Portugal, Espanha, Polónia, Bulgária, Bélgica, Roménia, Austria, Eslováquia, Finlândia, Itália, Turquia, Hungria, Estónia e Lituânia).

A equipa “Erasmus+” da escola, composta por todos os docentes do estabelecimento de ensino e ainda a docente Rosa Luísa Gaspar (coordenadora dos projetos) está a dar vida aos projetos que se enumeram de seguida.

“Armonia, Construyendo Espacios de diálogo inclusivo para la participácion y la creácion” ; “Enhancing students and teachers sucess through STEM education” ; “Let´s conquerer technology for our students” ; “Like the Nature . Tradition-Sport – Music” e ainda “From teachers to teachers” sendo este último desenvolvido apenas com professores dado que se trata de formação.

A língua inglesa e a espanhola, terão a sua valiosa expressão na implementação dos projetos através nova abordagem CLIL, o que pressupõe o ensino de diferentes conteúdos disciplinares através de uma língua estrangeira, contribuindo para uma pedagogia do sucesso e promovendo no aluno uma atitude positiva de autoconfiança face à aprendizagem de línguas.

Através das abordagens transnacionais, estas parcerias estratégicas têm como objetivo promover a unidade na diversidade, igualdade de oportunidades, tolerância, aceitação e apreço mútuo, para uma educação inclusiva, melhorar a qualidade e a dimensão europeia do ensino e apoiar a melhoria dos métodos pedagógicos e de gestão da escola.

A coordenadora fez um enfoque especial que através da utilização de novas tecnologias queremos abrir uma janela para diferentes culturas, línguas, pessoas e cultivar a identidade europeia.

As primeiras reuniões dos projetos, os encontros transnacionais de professores, estão agendados a partir de meados de outubro onde serão definidas as diferentes etapas do projeto. No final de novembro ocorrerá a primeira mobilidade de alunos e professores à Bratislava na Eslováquia e contará com a participação de professores e alunos dos países envolvidos neste projeto.

Tentar-se-ão estreitar relações com instituições exteriores à escola, nomeadamente museus, onde os alunos terão a possibilidade de contactar com diferentes tipos de heranças culturais que irão aumentar e inspirar a sua criatividade e autoexpressão.