Manjar dos deuses

SONY DSC

Rui Marote (texto e fotos)

O milho frito, o bife de atum e a espetada têm os dias contados. Regressámos à época quinhentista, ao império romano, ao Texas ou a uma coutada índia. Os madeirenses são célebres a inovar… Depois dos tuk-tuk oriundos da Ásia e das gelatarias italianas que abundam por vários locais da cidade, eis que surge uma ideia brilhante na tradicional Rua da Carreira, uma das mais antigas do Funchal: um bar de vinhos que servia as tradicionais tapas espanholas enveredou a partir de hoje pelo porco – número do Jogo do Bicho 0 69.
Em plena via pública, o porco assava lentamente, perante os olhares dos transeuntes, como se de um banquete medieval se tratasse. Os estrangeiros deliciavam-se com os seus telemóveis, a tirar uma selfie.
Paulo Cafôfo, ausente da Madeira, é um dos mais assíduos daquela zona na hora do almoço, e que com certeza apoiará este tipo de gastronomia.
Resta-nos esperar que o negócio do porco assado não se espalhe pelos quatro cantos da cidade e que possamos ver o Funchal transformado em “assador de porcos”.
Já agora, o Estepilha sugere que nos dias quentes se acrescentem uns ‘escravos’ dotados de uns grandes abanadores, daqueles que serviam para refrescar os sultões, para que os clientes do restaurante possam aguardar mais tranquilamente enquanto o seu manjar é cozinhado ao ar livre…