Escola de Dança do Funchal estreia espetáculo Aladino com casa cheia

2015-07-02 14.48.13
Mais de 200 alunos dão corpo a um espetáculo de dança, teatro e canto no Teatro Municipal, até domingo.

A Escola de Dança do Funchal brindou o público com um espetáculo de fim de ano letivo com a designação de Aladino. Uma viagem mágica pelo deserto, de exotismo e de fantasia, onde os alunos conciliam o canto, a dança e o drama num espetáculo digno de ser visto.

Esta tarde, pelas 15 horas, houve a estreia para as escolas, mais precisamente para alunos do pré-escolar, como Santa Clara. Mas a estreia ao público acabou de acontecer há instantes, a partir das 19 horas. Após mais de 90 minutos de cor, criatividade, inovação e magia, o público aplaudiu demoradamente o evento.

Vanessa Fernandes é a diretora da EDF e a grande dinamizadora do evento cujas representações decorrem no não menos emblemático Teatro Municipal Baltasar Dias. Minutos antes de arrancar com a sessão da tarde, a talentosa bailarina ultimava pormenores de som e de imagem com a sua equipa. Todo o tempo se consumia a limar arestas para que chegasse ao público uma mostra de alunos mas com qualidade.

O espetáculo é inspirado no musical da Disney, representado por dois grupos de mais de duas centenas de alunos, desde os 3 aos 17 anos de idade. Depois do Rei Leão, foi a vez de optar pelo Aladino, para variar o espetáculo e a pedido dos estudantes. Vanessa Fernandes salienta que envolve dança clássica – ballet e dança contemporânea – canto e o teatro. Uma aposta que envolveu toda a equipa da Escola e muitas horas de trabalho.

Vanessa Fernandes considera que cada vez mais tem público escolar na plateia, desde a pré até ao I ciclo. Um dado inspirador para os alunos e para a própria Escola.

Os alunos da EDF estarão em palco até domingo, com duas sessões diárias: escolas, pelas 15 horas e público em geral pelas 19 horas. Ao fim de semana, o horário é 16 e 19 hs.

aladinoA EDF está a crescer cada vez mais e a grande difculdade é a capacidade física para acolher tantas solicitações, admite a diretora Vanessa Fernandes. A grande aspiração seria ampliar as atuais instalações ou ter uma nova sede por forma a dar resposta a um número crescente que procura esta instituição artística, o que demonstra a atração dos jovens pelas artes.