Conheça Machico: terra da liberdade e de engenheiros

machico35
Clique na imagem para aceder ao álbum

A Leste da Madeira, respira-se liberdade. Esta conotação política atribuída ao concelho de Machico é histórica e resulta de muitos de anos de resistência ao poder jardinista que durante largo período governou a Madeira, com alguns períodos de oposição bem vincada e assumida pelas autarquias governadas pelos socialistas ou irmãos Martins. Neste momento, a autarquia foi conquistada pelo PS.

Mas Machico, para além de uma lição de Democracia e Liberdade, é um concelho polifacetado. Das suas gentes, a sério e a brincar, costuma dizer-se que “onde está um machiqueiro está sempre um engenheiro”. Ditos que a memória popular guarda e que tendem a caracterizar uma postura dos naturais perante a vida e as situações.

O concelho onde desembarcaram pela primeira vez João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira, entre 1418 e 1420, faz história. Com uma superfície acima dos 68 mil metros quadrados e uma população total estimada em cerca de 268 mil habitantes, segundo os Censos de 2011, Machico é uma referência importante na História da Madeira.

A baía da sede do concelho, aprofundada por um vale sereno de casario disperso e brisa sempre pronta a soprar, encanta o forasteiro. A praia artificial ali construída tem servido de chamariz a milhares de madeirenses e estrangeiros que preferem a areia dourada ao calhau típico bonito mas incómodo. A velhinha unidade hoteleira Dom Pedro continua a receber os turistas mas, numa ilha salpicada de hotéis e quintas de turismo rural, a ausência destes investimentos em Machico dá que pensar. Que dizer do sempre adiado projeto hoteleiro para o Forte de São João Batista, sempre com a autarquia a anunciar projetos de investidores que se esfumam no ar? Ainda assim, a baía continua aprazível, movimentada e convidativa.

O Caniçal é outra freguesia de referência do concelho, feita de gente empreendedora, apesar das dificuldades. Uma área pescatória, com homens do mar a fazer-se à faina anualmente rumo aos Açores e outras paragens para sustentarem as famílias. Os melhoramentos dos últimos anos na freguesia têm atraído o visitante para uma refeição de peixe fresco e mariscos, dias de sol nas piscinas e o imprescindível passeio à Ponta de São Lourenço ou então à sempre agradável Quinta do Lorde.

Mais a norte de Machico, a freguesia de Santo António da Serra reveste-se de encanto pela beleza natural da paisagem. O verde exuberante convida a um passeio pela típica Quinta do Santo ou então uma passagem pelo emblemático Campo de Golfe ou até mesmo pelo Centro de Hípico. Atrações não faltam a esta freguesia bela e fresca do concelho, sendo também servida por uma boa oferta hoteleira.

O Porto da Cruz é uma freguesia também importante de Machico. As produções vinícolas –uva americana – atraem milhares a esta zona, num percurso cada vez mais facilitado pela via rápida.

Água de Pena é outra freguesia de Machico. Discreta, dispersa e bem perto do Aeroporto da Madeira. Cresceu nos últimos anos com novos núcleos habitacionais.

A Leste da Madeira, Machico é um ponto obrigatório de visita. Noutros tempos, o complexo turístico da Matur bem dinamizou o comércio e a economia locais. Depois disto, muitos projetos hoteleiros anunciados mas só vingou o complexo da Quinta do Lorde, dinamizado por Ricardo Sousa e outros empresários. Machico continua à espera do investimento dos empresários.