Heliporto do Porto Moniz tem «servido de pombal e de “gaivoto-porto”», diz a CDU

Foto DR

A CDU realizou, esta manhã, uma iniciativa sobre o roteiro dos «escangalhanços do regime», na qual denuncia o «esbanjamento de dinheiros públicos».

Junto ao heliporto, no Porto de Abrigo do Porto Moniz, Edgar Silva disse que a infraestrutura: «nunca foi usada para a função que lhe dá o nome. Tem, sim, servido de pombal e de “gaivoto-porto”. Por isso, este também é um ícone dos “escangalhanços do regime”. Este é um dos símbolos do esbanjamento de dinheiros públicos na Região Autónoma da Madeira».

De acordo com Edgar Silva, «o heliporto do Porto Moniz é um dos “escangalhanços do regime” espalhados por este concelho e por toda a Região. Como esta coisa que para aqui está, existem outros exemplares da “mesma família”, como o falhado “heliporto do Hospital Nélio Mendonça” ou, então, o “heliporto da Proteção Civil”, na Cancela (no Funchal), que não está devidamente oficializado, nem registado a nível nacional; o mesmo acontece com próprio helicóptero que está ao serviço da Proteção Civil da Madeira (também ele sem o pleno respeito pelas exigências operacionais previstas na Lei). São os “escangalhanços do regime”, que não param de se multiplicar».

«Tal como existem pela Região tantos outros casos de desperdício, de irracionalidade e de irresponsabilidade no despejar de verbas do Orçamento Regional, também aqui no concelho do Porto Moniz, entre outros maus exemplos, não se pode deixar de referir o fiasco de projetos como o Espaço Multiusos, do Centro de Ciência Viva, ou do Centro de Piscicultura do Seixal. Estes, e muitos outros, fazem parte da montanha de “escangalhanços do regime”», acrescentou.

«Escangalhar é a marca maior do Governo Regional da Madeira. O que mais faz este governo é escangalhar e prometer para desperdiçar, sem qualquer preocupação de rigor ou de responsabilidade ética no uso dos dinheiros públicos», finalizou Edgar Silva.