Casas inteiramente ardidas em várias zonas do centro

Texto e fotos: Luís Rocha

oi001214.jpg

O centro do Funchal está a ferro e fogo: um pouco por todo o lado, verificam-se focos de incêndio. Numa transversal da Rua Pedro José de Ornelas (Pena), abaixo do snack-bar ‘Redondo’, arderam completamente duas casas. O Funchal Notícias esteve no local e acompanhou o trabalho dos bombeiros que se afadigavam no combate às chamas, mas já era tarde para salvar as habitações. Na Rua Pedro José de Ornelas (Pena) registaram-se também focos de incêndio em residências, que estão a ser acudidos pelos bombeiros.

oi001200.jpg

Verificaram-se diversos rebentamentos de garrafas de gás, um muito próximo do sítio onde se encontrava a nossa reportagem, abaixo do ‘Redondo’, que levantou enormes labaredas, mas os bombeiros estão habituados, têm coragem e profissionalismo e não se intimidam.

oi001196.jpg oi001214.jpg oi001192.jpg

Já o mesmo sangue-frio não pode ser dito de muita população do Funchal. As pessoas entraram em pânico, meteram-se nos seus veículos e procuraram sair do Funchal a qualquer custo. A zona do Campo da Barca ficou completamente entupida com um enorme engarrafamento de viaturas, várias das quais em contra-mão, outras que persistiam em seguir em direcções onde o trânsito notoriamente não fluía… No meio ficaram várias viaturas das forças de autoridade, inclusive da GNR ou da PSP. Mas a Polícia de Segurança Pública cedo empregou as motos pesadas e outros meios para começar a disciplinar e escoar o trânsito. Refira-se aqui a ajuda de diversos populares mais avisados, que ajudaram também a canalizar o trânsito nas direcções mais correctas, aconselhando os condutores.

oi001202.jpg oi001203.jpg oi001205.jpg

Muitas pessoas circulavam nas ruas num ambiente totalmente irrespirável, mas algumas tiveram o cuidado de utilizar máscaras apropriadas. Foi também esse o nosso caso, o que nos permitiu circular livremente pelo centro e captar as imagens que agora apresentamos.

oi001210.jpg oi001211.jpg oi001212.jpg

Muitos populares colocaram bilhas de gás na rua, e utilizam mangueiras para regar as suas residências, acautelando possíveis focos de fogo criados por faúlhas levadas pelo imprevisível vento.

oi001217.jpg oi001218.jpg oi001216.jpg

Animais soltos e assustados deambulam pelas ruas, mas neste caso o melhor, mesmo, é soltá-los e deixar que se ponham a si próprios em segurança, caso não possamos levá-los connosco. Mais tarde sempre podemos procurá-los. Eles têm um instinto que os leva a colocarem-se a salvo.

oi001202.jpg oi001181.jpg oi001179.jpg oi001172.jpg oi001178.jpg oi001170.jpg oi001167.jpg oi001220.jpg

A preocupação é grande, mas bombeiros e forças da autoridade estão no terreno. Aconselha-se todas as pessoas a exercerem vigilância cuidadosa sobre as suas residências de modo a eliminarem quaisquer focos de ignição logo ao princípio.

oi001167.jpg
O caos no centro do Funchal… tudo no meio duma grande fumarada que obscurece as imagens

oi001221.jpg oi001169.jpg oi001172.jpg oi001179.jpg oi001184.jpg oi001182.jpg

Entretanto, também já se verificou vandalismo ou, eventualmente, roubo: o Centro de Saúde do Bom Jesus tem uma das portas com um vidro partido, aparentemente para facilitar a entrada de um ladrão. Não nos surpreenderíamos se algo tivesse sido roubado, já que os “amigos do alheio” costumam aproveitar estas oportunidades e o facto de a PSP estar envolvida em actividades mais urgentes.

 

Entretanto, chegam-nos informações de que o Centro Comercial de São Pedro também se encontra a arder, ameaçando um quarteirão onde se localizam vários prédios antigos. É mais um entre muitos focos de fogo que se verificam na nossa urbe. Onde, recordemos, “estava tudo sob controle”, segundo as autoridades, até há algumas horas atrás…

Nos locais dos fogos foi perceptível a presença de responsáveis municipais, como vereadores e presidentes de junta. Alguns mesmo afadigados a combater os fogos com baldes e outros meios rudimentares. Os bombeiros tiveram de rebentar portas com machados para aceder ao interior, demonstrando experiência e considerável à-vontade na presença do perigo, conforme testemunhámos.

oi001207.jpg

Também para os lados da APEL e da Rochinha parecem haver focos de incêndio, porém, não os conseguimos confirmar. É preciso muito cuidado com as faúlhas.

Várias pessoas escolheram abandonar as suas casas a pé. Meteram os seus pertences numa mala com rodas e toca a andar para paragens mais seguras, sem entupir o trãnsito, com calma e um lenço molhado na boca. Um exemplo a seguir, mas o melhor, se possível, é mesmo manter-se atento à sua residência e molhá-la periodicamente o melhor que possível. Se for possível humedecer o tecto, tanto melhor.

Também os jovens voluntários do SANAS, nadadores salvadores, estiveram presentes tentando auxiliar a população. Felizmente não faltou quem se quisesse empenhar em ajudar num cenário difícil e quase impensável para muitos.