Alunos do Conservatório distinguidos em concurso para cinema de animação

De acordo com uma informação do Conservatório, o filme de animação ‘Migrantes do Espaço’, da actividade de Cinema de Animação dos Cursos Livres do Conservatório – Escola Profissional de Artes da Madeira foi galardoado com uma menção honrosa no Festival de Cinema Juvenil Stone Flower – um festival russo que procura seleccionar, de entre os milhares de trabalhos recebidos, as melhores curtas-metragens juvenis do mundo, numa colecção diversa que inclui todos os géneros.

A principal missão deste festival, sediado na cidade de Verkhnyaya Pyshma, é fornecer uma plataforma para jovens cineastas emergentes de todo o mundo, com idades entre os 7 e os 18 anos, que propicie o diálogo internacional através do cinema, inspirando os jovens a desenvolverem as suas habilidades técnicas e criativas. Agendado para Agosto de 2020, teve o seu formato alterado e a sua data adiada para o mês passado, Dezembro, dada a actual situação de pandemia e impossibilidade de o realizar nos moldes programados. Segundo dados da organização do festival, foram recebidos mais de 1400 trabalhos.

‘Migrantes do Espaço’ resulta do projecto anual do Curso Livre de Cinema de Animação e a sua pré-produção iniciou-se no início do ano lectivo de 2019/2020, quando ninguém ainda ouvira falar de Covid-19.

“Estávamos em Setembro, uma jovem ativista do ambiente discursara nas Nações Unidas e milhares de jovens desfilavam pelas capitais de todo o mundo em protesto contra a falta de medidas dos dirigentes mundiais face às evidentes alterações climáticas. Um outro problema era noticiado recorrentemente nos noticiários: as grandes vagas de migração que ocorriam por todo o mundo. Foram esses os acontecimentos que inspiraram este grupo de alunos a criar esta curta-metragem de animação. Neste filme, uma grave crise ambiental irá colocar a existência da raça humana no planeta Terra em risco, o que provocará um êxodo migratório pelo espaço em busca de um lar que a aceite. Mas esta é uma realidade que continuará a ser negada até que os humanos realmente despertem para ela”, explica uma nota do Conservatório.

O filme contou com a participação de 21 alunos na realização do argumento, guião, storyboard, gráficos, animação, som e edição: Afonso Vasconcelos, Alex Gomes, Alexandra Esteireiro, Clara Trindade, Bento Ramos, Diana Nogueira, Diogo Barbosa, Diogo Silva, Eric Gomes, Helena Teles, Javier Correia, João Silva, Lourenço Freitas, Lucas Waddell, Margarida Teles, Martim Jardim, Ricardo Rojas, Rodrigo Pereira, Salvador Marques, Tiago Nascimento, Tomás Neves. As vozes são de Alexandra Esteireiro, Helena Teles e Rodrigo Pereira e a animação 3D de João Almeida.

A atividade de Cinema de Animação, criada em 2015, é actualmente uma das ofertas dos Cursos Livres em Artes do Conservatório e conta, no presente ano letivo, com 18 alunos inscritos. Desenvolve, desde o ano da sua implementação, curtas-metragens de animação que já marcaram presença em 10 festivais nacionais e internacionais. O responsável por esta actividade, desde a sua criação, é o professor João Pedro Pereira.