Madeira perde milhão e meio de lugares desde 2016 e assim se explica a queda do turismo na Região

btrDesde 2017 que o destino Madeira entrou num patamar sem crescimento, destaca Francisco Pita, CMO da VINCI ANA Aeroportos, na intervenção realizada na Conferência Anual do Turismo, que decorre hoje, no Centro de Congressos da Madeira.

Aquele responsável avançou com números concretos: cerca de 1,5 milhões de lugares foram perdidos pelo destino desde 2016. Há cerca de 3 anos já faliram na europa 14 companhias aéreas sendo que 9 operavam para a Madeira, justificando assim, a queda no turismo regional.

No que diz respeito à sazonalidade, atualmente, a Região encontra-se com um índice de 1,53% que tem diminuído progressivamente ao longo dos anos quando comparado com os 1,71% no ano de 2000.

Destaca ainda os principais mercados que operam para a Região: o português, o inglês e o alemão, contudo existe uma quebra do mercado escandinavo.

Segundo uma nota do gabinete de comunicação do evento, “tal como os restantes oradores, Francisco Pita, destacou as crises económicas bem como o Brexit e as alterações climáticas, como fatores que influenciam o consumidor europeu na hora de apanhar um avião”.

Deixa, no entanto, algumas perspetivas para o futuro, que consistem “no aproveitamento dos mercados existentes, na diversificação dos mercados de proximidade, captar novos mercados, como os Estados Unidos da América e o Canadá, bem como captar novas companhias aéreas”.