Porto Santo vive o Festival Colombo entre 12 e 14 de setembro, desembarque é esta quinta-feira

Festival ColomboO Porto Santo recebe mais uma edição do Festival Colombo, que terá lugar de 12 a 14 de setembro na Vila Baleira, prometendo “muita animação para toda a família”, refere uma nota da Associação de Promoção da Madeira.

“Um dos eventos mais icónicos da ilha regressa para recriar a época em que o mercador viveu no Porto Santo. Durante três dias será possível viajar pela história, celebrar os Descobrimentos Portugueses e mergulhar nas vivências da altura”, aponta a mesma informação.

O programa é composto por vários espetáculos e atuações que dão vida àquela época. O Cortejo histórico de receção a Cristóvão Colombo, os teatros de fogo e percussão, torneios de armas a cavalo ou concertos com músicas quinhentistas, são algumas dos pontos altos da programação, que vai conquistar miúdos e graúdos.

O evento conta ainda com um verdadeiro Mercado Quinhentista, onde é possível sentir o ritmo dos mercados à luz da época, centrais nas interações sociais da altura. Uma experiência completa pela gastronomia, lutas entre mercadores e comerciantes, guarnição militar, julgamento de hereges e infratores, artes circenses, entre outras surpresas, que transportam os visitantes para outro tempo da história.

O ambiente de festa, a recriação dos trajes da altura, as encenações, músicas e danças tornam o Festival Colombo num dos pontos altos do calendário de eventos e um momento a não perder para quem está de visita à ilha.

Um dos pontos altos do certame é o desembarque de Colombo, na quinta-feira. Ao cair da noite, largas centenas de pessoas acorrem à praia para assistirem, no primeiro dia do Festival, ao desembarque. O espetáculo inicia-se com o emergir no horizonte de uma réplica de uma caravela Santa Maria de Colombo, trazendo a bordo o navegador genovês e a sua comitiva numa das suas visitas a Porto Santo. A nau fica ao largo e o desembarque faz-se com transbordo para pequenos barcos. Assim que o Almirante pisa o areal, prontamente se inicia a azáfama inerente à sua receção, que inclui diálogos, cortesias e oferendas ao capitão donatário, música, danças e teatralização de peripécias corriqueiras da época. Logo ali, juntam-se inúmeros elementos representativos das várias classes socias e do clero, para um cortejo de receção pelas principais ruas do burgo, com o fim de tornar pública a permanência de Colombo na ilha.