Polícia alerta madeirenses para telefonemas de falso assistente de operadora telefónica

POLICIA B
O Comando Regional lança o alerta para burlas através de telefonemas de um falso assistente de operadora telefónica.

O Comando Regional da PSP da Madeira revelou hoje, em comunicado, ter registado, em especial no último mês de Novembro, “várias denúncias por burlas, cometidas quer via telefónica, quer por via informática, relacionados com situações em que os cidadãos são confrontados com um falso assistente de uma operadora telefónica.

Refere a Polícia que, no contacto telefónico, o burlão propõe, às pessoas “a compra de equipamentos telefónicos a preços muito vantajosos; Confronta-os com uma suposta dívida relativa a serviços contratualizados com aquela operadora; Identifica situações duvidosas de alegados acertos de contas em que o cidadão é levado a pensar que irá
auferir vantagens no próximo pagamento mensal que realizar; Sinaliza transferências bancárias fictícias alegadamente feitas pela operadora para a conta do cidadão e
pedindo a sua devolução imediata”.

A PSP aponta, ainda, que “o cidadão é identificado através do seu nome, telemóvel e por vezes morada (para transmitir uma falsa ideia de credibilidade), sendo posteriormente convidado a proceder ao pagamento de quantias monetárias através de multibanco ou por transferência bancária, para suposta resolução da situação ou auferimento
das vantagens mencionadas”.

No mesmo comunicado, a polícia dá ainda conta que “no âmbito de burlas relacionadas com o aluguer de residências para férias, o CR PSP Madeira sinalizou algumas queixas em que o cidadão é convidado pelo suposto proprietário/responsável do imóvel, a sinalizar com quantias monetárias uma habitação para efeitos de férias no Continente da República, verificando posteriormente que foram vítimas de uma burla”.
O Comando Regional da PSP alerta todos os cidadãos “para que desconfiem de contatos telefónicos ou informáticos em que sejam convidados a efetuar quaisquer pagamentos, devendo optar sempre por contatar pessoalmente as operadoras ou empresas com as quais tenham serviços contratualizados. Recomendamos ainda para que todos os cidadãos que tenham sido vítimas deste tipo de crime que os sinalizem junto de qualquer Esquadra da PSP, contribuindo assim para uma melhor perceção e investigação deste tipo de crimes por parte das autoridades policiais”.