“Diário de Uma Aventura no Portugal Católico” será lançado amanhã na CMF

O Salão Nobre da CMF recebe amanhã, pelas 18 horas, o lançamento na Madeira do Diário de Uma Aventura no Portugal Católico, da autoria da docente universitária Luísa Antunes Paolinelli, com coordenação dos conteúdos históricos de Cristina Trindade, ilustrações de Gonçalo Ferreira de Gouveia e prefácio dos professores José Carlos Seabra Pereira e José Eduardo Franco.

Este livro é apoiado pelas Câmaras Municipais do Funchal e de Viseu, entre outras entidades. Publicado pelas Edições Esgotadas, tem como público-alvo os mais jovens, mas pode-se considerar um livro para todas as idades. A apresentação estará a cargo da directora regional da Cultura dos Açores, Susana Goulart Costa, especialista de História da Igreja.

De acordo com a sinopse, “as personagens da colecção Mais Madeira – a Tia Cristina, a Lili, a Maria e a amiga Laura – desta vez fazem uma viagem que as leva de Guimarães a Viseu, passando por Braga, Tibães, Arouca e outros lugares, à descoberta da história da fundação de Portugal, da arte, da gastronomia, da literatura e dos valores que fazem parte da nossa cultura de matriz católica. É uma verdadeira aventura este percurso, que as leva a encontrar personagens e eventos do passado e que lhes proporciona um maior conhecimento do que as rodeia: de Mumadona, que mandou construir o Castelo de Guimarães, ao pintor Grão Vasco, a cuja oficina se deve a primeira representação na arte ocidental de um índio, a curiosa Lili e os leitores entram no Mosteiro de Tibães, admiram o cálice da Sé de Braga, imaginam a música produzida em Arouca, ficam a conhecer o papel das mulheres na história do catolicismo em Portugal e compreendem de onde vêm as barrigas de freira, o toucinho do céu e o pudim do Abade de Priscos. Há ainda espaço para falar de um dos antigos deuses lusitanos, o Tongoenabiago, de acompanhar os monges de Lorvão na escrita do Livro das Aves e de conhecer as novas personagens:o avô Rui e a Dolly das Arábias, uma cadela ultra-simpática. Tudo isto acompanhado de ilustrações que celebram a variedade da vida e nos transportam no tempo às cores e contornos das iluminuras medievais”.