Ana Isabel é a presidente que se segue no “Liceu”: “Queremos uma escola onde o debate de ideias, a partilha e a colaboração sejam uma realidade”

Ana Isabel Freitas afirma que os docentes, os não docentes e os discentes escolheram, democraticamente, entre dois projetos.

Ana Isabel de Freitas toma posse, esta sexta feira, como a nova presidente do conselho executivo da Escola Secundária Jaime Moniz. A comunidade escolar preferiu votar na sua equipa, e a nova presidente garante que vai investir num modelo de “escola coesa, unida à volta de um ensino de qualidade com todos e para todos”. A liderança é-lhe familiar, não só pela formação académica como também por ter integrado, ao longo de largos anos, a equipa do presidente cessante, Jorge Moreira. Na primeira grande entrevista pública, a nova presidente e a sua equipa pretendem gerir a instituição de forma colaborativa e reflexiva.

Funchal Notícias: Numa instituição com 180 anos de existência, qual o sentimento de ser a primeira mulher eleita presidente do Conselho Executivo da ESJM?

Ana Isabel Freitas: É para mim uma grande honra e, ao mesmo tempo, um grande desafio integrar a equipa que foi eleita para liderar a nossa escola nos próximos quatro anos.

FN: Qual o modelo de Escola que defende para o “Liceu”, nos próximos quatro anos?

A.I.F: O modelo de escola que defendemos é o de uma escola coesa, unida à volta de um ensino de qualidade com todos e para todos. Queremos uma escola onde o debate de ideias, a partilha e a colaboração sejam uma realidade. O exercício de uma liderança pedagógica, isto é, de uma liderança que coloca no seu cerne o processo de ensino e de aprendizagem, só pode ser exercida num ambiente reflexivo e de questionamento. Para tal, o papel das lideranças intermédias será fundamental. São os coordenadores de departamento, os delegados de grupo que, nos seus departamentos e grupos disciplinares, deverão exercer influência positiva sobre os seus pares, orientando as reflexões em conjunto para que a nossa escola se torne uma comunidade de aprendizagem.

F.N.: Quais serão as mudanças que pretende introduzir ao longo do seu mandato, ao nível da gestão e abertura à comunidade escolar?

A.I.F. : A nível da gestão, consideramos que é essencial reforçar o papel das lideranças intermédias, dos coordenadores de departamento curricular, dos delegados de grupo e dos diretores de turma. Estes últimos deverão assumir-se como um elo forte de ligação entre os alunos e os seus colegas e os pais/encarregados de educação.

Pretendemos continuar a estabelecer um diálogo permanente com os órgãos de direção e de gestão pedagógica da escola, nomeadamente, o Conselho da Comunidade Educativa e o Conselho Pedagógico.

Continuaremos a reforçar e a reconhecer o papel dos serviços administrativos na escola e de todos os trabalhadores não docentes. Uma escola constrói-se e melhora com a participação de todos.

Ao mesmo tempo, continuaremos a celebrar a nossa história no Dia da Escola, dia 13 de janeiro. O nosso Património Museológico será objeto de uma  especial atenção.

Pretendemos acarinhar os projetos que nos sejam apresentados por docentes, não docentes e discentes, desde que contribuam para o desenvolvimento integral dos nossos alunos. Para divulgar as atividades realizadas na escola iremos elaborar uma newsletter mensal. Tencionamos, também, desenvolver esforços no sentido de celebrar parcerias com organismos, instituições e tecido empresarial da Região Autónoma da Madeira, tendo em vista o apoio à modernização da nossa escola.

O boletim eleitoral apresentado pela lista vencedora à nova Direção do “Liceu”.

FN: Face à votação obtida, 183 votos contra 154 votos, qual é a sua leitura destes resultados?

A.I.F.: O processo eleitoral foi muito participado. Os docentes, os não docentes e os discentes escolheram, democraticamente, entre dois projetos. A maioria escolheu o nosso projeto. Contaremos com o apoio de toda a comunidade educativa, pois só desta forma será possível continuar a construção de uma escola de qualidade.

FN: Na sua perspetiva, quais as mais-valias que a ESJM pode oferecer a um aluno que queira frequentar o Ensino Secundário?

A.I.F.: A ESJM/o Liceu oferece um ensino de qualidade. Os alunos que querem ingressar no ensino superior, após a conclusão do ensino secundário, encontram nesta escola professores experientes, motivados e empenhados de quem receberão todo o apoio para que consigam atingir os seus objetivos. A escola oferece aulas de apoio pedagógico e aulas de apoio para a preparação dos exames nacionais.

Os alunos dos cursos profissionais e dos cursos de educação e formação encontram equipas pedagógicas que os ajudam na sua preparação científica e técnica, mas, também, no ingresso da vida ativa. Há uma preocupação com o desenvolvimento integral do aluno. A ESJM disponibiliza, igualmente, um conjunto de clubes e de projetos para que os alunos possam desenvolver as suas competências sociais e relacionais.

Além destes aspetos, julgamos que a história do Liceu pode ser, de igual modo, um fator determinante para que os alunos escolham a nossa escola. Estudar num Liceu com 180 anos, onde estudaram personalidades que se destacam na vida social, cultural e política da nossa Região é, com certeza, mais um fator que pode ajudar o aluno na sua motivação para a realização das suas escolhas pessoais e profissionais.

A nova equipa que chefia a ESJM. Da esquerda para a direita: Maria Doroteia Teixeira, Francisco Estêvão, Ana Isabel Freitas, Odílio Freitas e Zita Carvalho. Uma imagem registada após a divulgação dos resultados eleitorais.

FN: Como vê o papel dos pais/família na participação da vida escolar dos seus educandos?

A participação dos Pais/Família é crucial na vida escolar dos seus educandos. Ao longo dos últimos anos, essa participação tem aumentado. Há cada vez mais pais/encarregados de educação a participar nas reuniões de final de período com os diretores de turma. Verificamos, também, que o número de pais/encarregados de educação que contacta durante o ano letivo com o diretor de turma, cresceu. Estes dados encontram-se no último relatório de autoavaliação da escola. Todavia, acreditamos que essa participação ainda é escassa. Não tem havido uma cultura de participação dos pais/encarregados de educação na vida da escola. Por tal motivo, propomo-nos envidar todos os esforços para revitalizarmos a Associação de Pais da nossa escola. De igual modo, continuaremos a convidar os pais para participarem nas atividades culturais realizadas na escola, tais como no Dia da Escola, na Semana do Teatro, na Semana dos Clubes e Projetos.  A participação em atividades desportivas será, igualmente, importante para apelar à sua presença.

Num dos recentes convívios da ESJM, na Ceia dos Santos Populares, o presidente cessante, Jorge Moreira de Sousa, e a nova presidente, Ana Isabel Freitas.

FN: Por fim, qual a mensagem que deixa à comunidade escolar?

A.I.F.: Todos juntos, construiremos o Futuro numa escola com História.